O uso da Cannabis medicinal tem demonstrado um potencial importante, especialmente, para os pacientes com doenças neurológicas. Uma dessas doenças é a esclerose múltipla. Embora ainda não haja cura, o tratamento com Cannabis para esclerose múltipla pode devolver qualidade de vida para os pacientes.

Diversas pesquisas já indicaram que as substâncias da Cannabis, especialmente o canabidiol (CBD), são aliados importantes no tratamento dos sintomas da esclerose e o tratamento devolve a qualidade de vida aos pacientes. Além do CBD, o tetra-hidro-canabidiol (THC) também possui a capacidade de ajudar nas convulsões que a doença causa aos pacientes. A esclerose múltipla, inclusive, foi uma das primeiras doenças que teve o uso da Cannabis medicinal aprovada para o tratamento dos sintomas.

A Esclerose Múltipla

A esclerose múltipla é uma doença autoimune que ataca as células que revestem os neurônicos, causando destruição grave e danos permanentes nos nervos. Com isso a comunicação entre o cérebro e o resto do corpo fica comprometida. Os principais sinais que a doença apresenta nos pacientes são: fraqueza muscular, tremores, cansaço e perda dos movimentos, podendo comprometer a capacidade de andar ou falar das pessoas.

Já os principais sintomas são: muito cansaço, sensação de dormência ou formigamento, principalmente nos braços e nas pernas, fraqueza muscular, rigidez e espasmo muscular, tremores, dores fortes de cabeça, lapsos de memória e dificuldade de concentração, incontinência urinária, problemas na visão, dificuldade para falar e para engolir os alimentos, dificuldades para andar e perda de equilíbrio e falta de ar. Além de todos esses sintomas, a esclerose pode causar depressão.

Nem todos os sintomas atingem todos os pacientes, mas, a doença tira a qualidade de vida das pessoas, por isso a importância de tratamento contínuo e acompanhado por médicos.

Não há cura para a doença, os tratamentos disponíveis são indicados para ajudar a diminuir os sintomas da doença, evitar as crises e convulsões e retardar a evolução da doença e o comprometimento dos movimentos dos pacientes. O médico responsável por acompanhar o tratamento dos pacientes é sempre um neurologista.

Como é o tratamento

A Cannabis age no organismo dos pacientes retardando o processo neurodegenerativo e o avanço da doença no organismo, além do efeito anti-inflamatório do canabidiol; diminui as dores neuropáticas por conta do efeito analgésico; melhora o humor e a depressão por conta do efeito ansiolítico; o THC é capaz de controlar a espasticidade muscular; e, principalmente, controla as convulsões.

O uso da Cannabis é tão importante para os pacientes por não haver cura para a doença, além disso, os medicamentos tradicionais nem sempre são capazes de tratar completamente os sintomas causados pela esclerose e, pior ainda, causam efeitos colaterais ainda mais fortes do que os próprios sintomas da doença nos pacientes. Também não existem lançamentos de novos medicamentos mais eficazes nesse tratamento.

Se você gostou desse conteúdo, compartilhe com seus amigos e comente aqui para nós outros assuntos que você gostaria de ler. Para continuar lendo sobre o uso medicinal da maconha, clique aqui e veja sobre o uso da Cannabis por pacientes com HIV e como o tratamento tem sido importante para os pacientes.

Fontes: https://www.tuasaude.com/esclerose-multipla/


Leave a Reply

Your email address will not be published.