Nesse artigo você vai entender como ocorrem as doenças em plantas, alguns exemplos de doenças da cannabis e a melhor forma não ter problemas desse tipo.

Doenças da cannabis fungo mofo
(Fonte: Dinafem, 2018)

Essa preocupação não é à toa, já que se sabem do potencial destrutivo e de perda causado por doenças em outras culturas de interesse a humanidade.

Mas você não precisa ser a indústria da cannabis para ter ou se preocupar com essas doenças dentro do seu cultivo de uso próprio.

Assim me acompanhe com a leitura desse artigo para saber o que é necessário para se ter uma planta doente, além de conferir alguns exemplos de potenciais doenças da maconha e como evitar que elas ataquem o seu cultivo.

Como ocorre as doenças da cannabis

A ocorrência de doenças em uma planta, assim como a maconha, vai depender de três fatores principais:

  1. Hospedeiro (planta) suscetível a doença;
  2. Agente causal (fitopatógeno) capaz de causar a doença;
  3. Condições do ambiente favorável.

O processo de doença em plantas pode ser entendido como uma guerra trava por entre o patógeno e a planta, em um processo de coevolução entre o ataque de um e a defesa do outro.

Os agentes causais de uma doença pode ser microrganismos como fungos, oomicetos bactérias, vírus e nematoides.

Mas para o caso da planta de maconha pouco se sabe sobre suas relações com seus agentes causais de doença, muito em função desse “vazio sanitário” forçado pelo mundo.

Ou seja, se tirarmos algum dos fatores do triangulo da doença, não haverá doença, sessão o processo de coevolução desses organismos, impossibilitando o estudo dessas doenças.

Porém, isso não significa que a maconha não possui doença que a atacam. Pois na natureza existem uma infinidade de microrganismos que atacam plantas de maneira geral, assim como patógenos que afetam plantas com gral de parentesco próximo.

Sendo assim vamos abordar aqui alguns potenciais patógenos da cannabis assim como alguns exemplos de doenças relatadas e a melhor forma de preveni-las.

Quais são as doenças potenciais da cannabis?

Antes falarmos das doenças da cannabis propriamente ditas, vale dizer que os nomes populares das doenças apresentados aqui são baseados em nomes de doenças de outras culturas com o mesmo agente causal.

Murcha de Fusarium (Fusarium oxysporum)

A murcha de fusarium é uma doença causado por um fungo que sobrevive no solo e infecta as raízes de diversas plantas de importância para a humanidade.

Onde a maconha não poderia ficar de fora, e que quando infectada irá apresentar sintomas típicos de escurecimento do sistema radicular.

A ocorrência dessa doença pode ser maior especialmente quando a maconha for cultivada em um sistema indoor hidropônico.

Mas quando cultivada de maneira outdoor os sintomas também podem ser de murcha da planta e necrose na base do caule junto ao crescimento de uma massa de micélio esbranquiçado.

doenças da cannabis fungo nas raízes maconha

A esquerda temos uma planta de maconha cultivada a campo expressando sintomas de murcha, típicos de doenças causas por F. oxysporum e outros fungos de solo, a direita temos a base do caule planta degradado e com o crescimento de uma massa de micélios esbranquiçados (Fonte: Punja et al. 2019).

Mas para ambos os sistemas de cultivo a doença avança com o patógeno colonizar o sistema vascular da planta, resultando no posterior escurecimento dos tecidos.

Como resultado final as plantas de maconha infectas vão ter crescido menos e apresentar folhas com amarelecimento.

doenças da cannabis

Comparação de uma planta sadia com uma planta apresentando sintomas da doença causada por F. oxysporum em um substrato de fibra de coco contaminado. Note como a planta doente apresenta nanismo e amarelecimento nas folhas. A segunda imagem mostra o escurecimento da parte interna dos vasos da planta quando infectada (Fonte: Punja et al. 2019).

Outro sintoma característico dessa doença e que acontece comumente na fase de muda da maconha onde pode se observara o tombamento (damping-off) das plantas.

doenças da cannabis damping-off

Mudas de maconha apresentando sintoma de tombamento quando infectadas por Fusarium (Fonte: Punja et al. 2019).

Mofo cinzento (Botrytis cinerea)

Essa doença é causada por um fungo de pós colheita bem agressivo, já conhecidos em diversas outras cultura como o morango por exemplo.

Só que no caso da planta de maconha esse fungo ataca não só o fruto da planta (semente), mas também coloniza a flor.

doenças pragas, mofo planta cannabis maconha
Desenvolvimento de podridão de botões causada por Botrytis cinerea, em uma produção indoor. Da esquerda para direita se tem a evolução da doença (Fonte: Punja et al. 2019)

Essa e outras doenças que afetam o produto final de interesse, nesse caso as flores da maconha, são de grande preocupação por causarem danos diretos que muitas vezes inviabiliza o consumo das flores.

As lesões dessa doença nas folhas de maconha são caracterizadas inicialmente por pequenas manchas circulares que aumentaram de tamanho e se unem em posteriores regiões necróticas

Essas regiões necróticas às vezes poder estar circundadas por margens amarelas e geralmente é delimitada pelas nervuras da própria folha.

doenças pragas mofo da cannabis
Sintomas típicos de lesões necróticas em folhas de maconha causadas por B. cinerea (Fonte: Punja et al. 2019).

Bolor verde (Penicillium olsonii)

Assim como o mofo cinzento temos o bolor verde que causam danos diretos, quanto o foco da produção são as flores de maconha.

A ocorrência mais provável e significativa para essa doença será já na fase de pós colheita da maconha. Pois existem para outras espécies de planta relevante fungos do gênero Penicillium que causam danos na pós colheita.

Afinal, quem nunca viu aquela laranja que passou tempo demais na fruteira e depois de uns dias ela ficou tomada por um pozinho esverdeado.

Sim, esse é um exemplo de um Penicillium que pode estar mais perto do que você imagina e que teria certo potencial em atacar seu pé de maconha em um cultivo.

doenças da cannabis
Penicillium olsonii crescendo sobre as estruturas de uma flor de maconha (Punja et al. 2019).

Oídio (Golovinomyces cichoracearum)

Doenças causadas por fungos comumente conhecidos como oídio são característicos por apresentarem o crescimento de uma massa de micélio esbranquiçada por cima das folhas.

São classificados como fungos de natureza biotrófica, ou seja, não precisa matar os tecidos da planta para a retirada de nutrientes.

Ao invés disso esse fungo irá coexistir com a planta de maconha sem leva a morte, mas retirando parte de sua energia para sobreviver.

Além de que toda essa massa que pode chegar a tomar a folha interfere diretamente na área fotossintética das folhas de maconha.

O que por sua vez resultara na diminuição da produtividade da planta além de poder interferir diretamente na qualidade das flores.

Já em relação as condições favoráveis para o desenvolvimento dessa doença temos em condições mais quentes e de pouca humidade.

Desenvolvimento da doença causada por oídio atacando as folhas, caules e flores de um pé de maconha (Fonte: Punja et al. 2019).

As imagens representam bem o desenvolvimento dos estágios iniciais da infecção em folha jovem avançando o crescimento e se espalhando pela superfície da folha.

Mancha de Bipolaris (Bipolaris gigantea)

Já a doença que vamos abordar agora, diferente das citadas acima, reportada recentemente, causando perdas de 100% da produção de plantas de maconha em cultivos outdoor.

Seu agente causal é um fungo de natureza necrotrófica, que mata os tecidos da planta para retirar os nutrientes, que sobrevive nos restos de cultura.

Os sintomas típicos dessa doença vão apresentar de início manchas com tons de verde claro espalhados pela superfície da folha.

Essa doença apresenta elevado potencial de infestação nas áreas de cultivo por ser dispersada pelo vento atingindo tanto folhas mais velhas quanto mais novas.

As lesões necróticas variam seu tamanho entre 1 a 2 mm de diâmetro ficando com tons de marrom com a margem mais escura até um bronzeado claro sem margem.

Após esse ponto essas manchas acabar se unindo e consumindo toda a estrutura das folhas. O que, como muitos de vocês já imaginam, vai acabar comprometendo as taxas fotossintéticas de uma planta.

Sintomas típicos da doença, causada por Bipolaris gigantea, apresentando pequenas manchas necróticas que coalescem destorcendo as folhas da maconha (Fonte: Szarka et al. 2020).

Como você pode maneja-las?

Certo, agora que você já sabe quais são as potencias doenças que afetam a maconha vamos entender como você pode maneja-las e assim evitar perdas na sua produção.

Como já dito aqui, o caso da maconha é um tanto particular no que se refere-se aos conhecimentos de suas pragas e doenças.

Contudo tudo numa situação como essa a melhor coisa a se fazer é abordar estratégias de controle preventivas.

Além de ajustar algum detalhe de outros manejos necessários para o cultivo da planta como por exemplo a irrigação.

Essas ações somadas ao conhecimento básico desses potencias patógenos exemplificados nesse artigo são cruciais para que você tenha sucesso em controlá-las.

Pois quanto mais informações possuirmos sobre a cada uma dessas doenças, como: seu modo de dispersão, sobrevivência, condições do ambiente entre outras coisas. Mais fácil será de preveni-las e controla-las.

Para os que cultivam suas plantas de maneira indoor as indicações gerais para se evitar doenças é de se manter o ambiente limpo.

Assim como ter as ferramentas necessárias para o cultivo para usar só com suas plantas de maconha.

Pois se você usar a mesma pá usada no jardim da sua casa tem se o risco de levar doenças que sobrevivem no solo para dentro do seu cultivo.

Ou se usar aquela faca da cozinha que foi usada para descascar uma laranja que por um acaso estava próxima de outra laranja na fruteira que estava cheia de esporos de Penicillium.

Assim desde os menores detalhes até um bom plano de ablação e nutrição das suas plantas fazem a diferença para que não haja doenças.

Uma vez que planta bem nutridas ficam menos susceptíveis aos ataques que pragas e doenças.

Assim como adquirir um substrato livre de patógenos ou até mesmo esterilizar algum substrato feito de maneira caseira.

Onde também temos a porosidade desse substrato junto ao manejo de irrigação de suas plantas fatores que influencia na ocorrência de doenças.

Sendo que um substrato com pouca capacidade de drenagem da água e assim permeando enxarcado cria as condições adequadas para a infecção de doenças do solo.

Outro ponto é evitar molhar as folhas da maconha, pois assim evita dispersão de fungos e bactérias que estiverem em uma folha doente para as demais partes da planta.

Resumindo para que você não tenha problemas com doenças da cannabis o melhor remédio será adotar boas condições e práticas de cultivo.

Conclusão

Espero que após a leitura conteúdo sobre quais são as potencias doenças da cannabis que você pode encontrar em seu cultivo.

Assim como espero que com os conhecimentos abordados no texto você consiga ampliar sua visão quanto aos ajustes necessários para suas plantas ficarem sadias.

Comente aqui em baixo o que você achou desse artigo, se ficou alguma dúvida ou se já teve algum problema com algumas dessas doenças ou outras.

E se você quer continuar degustando mais conhecimentos do universo canábico, assine nosso newsletter, compartilhe com seus amigos e acompanhe as redes da Plantando Bem no Instagram e Youtube.


João dos Anjos

Agrônomo e mestre em ciências com linhas de estudo em recursos genéticos vegetais, defesa de plantas e manejos ecológicos. Tem como objetivo difundir informações relevantes e atualizadas do universo canábico que contribua com a desmistificação da maconha quanto uma planta e com a reconexão de um mundo mais verde.

Leave a Reply

Your email address will not be published.