Sabemos que as duas principais substâncias encontradas na Cannabis são o canabidiol (CBD) e o tetra-hidro-canabidiol (THC). Enquanto a primeira é comumente associada ao uso medicinal, o THC é mais lembrado quando se fala do uso recreativo da maconha e responsável pelo efeito do famoso “barato”. Embora o THC realmente tenha esse uso, ele também é uma substância importante no tratamento de diferentes e muitas doenças. Leia neste texto sobre o uso medicinal do THC.

A eficiência medicinal do THC é um assunto que necessita de muitos estudos, mas os pesquisadores já apresentaram descobertas importantes sobre o uso da substância em pacientes de diferentes doenças. A medicina já declarou a eficiência do THC para três doenças, são elas: as dores crônicas, na coluna, cabeça e articulações, por exemplo; náuseas e vômitos causados pela quimioterapia em pacientes com câncer; e para pacientes com esclerose múltipla que sofrem com os espasmos musculares.

Mas outras pesquisas também já indicaram muitos benefícios relacionados ao uso do THC, no tratamento de outras doenças e sintomas, entre eles: anorexia e caquexia, espasticidade, distúrbios do movimento, glaucoma, asma, dependência alcoólica, inflamações e há evidenciais também da eficiência no tratamento de fibromialgia. Além disso, o THC, e não somente o CBD, possui um efeito neuroprotetor, protegendo nossas células neurais, e comprovadamente sendo importante no tratamento da epilepsia, mal de Alzheimer, mal de Parkinson e esclerose múltipla – como já citado acima.

Efeitos do THC e CBD juntos

Normalmente os estudos realizados utilizam a forma pura do THC, ou seja, sem nenhuma outra substância atuando em conjunto. Mas já se sabe que o THC e o CBD, usados juntos, apresentam efeitos medicinais potencializados. Exemplo disso é para as pessoas com dores crônicas. Estudos demonstram que, apesar do CBD isolado não funcionar como um analgésico, o CBD em conjunto com o THC tem um efeito superior ao THC usado separadamente.

O efeito do THC no corpo

O THC quando consumido como medicamento age no organismo no sistema endocanabinoide (SE). O SE é uma rede reguladora que existe dentro de todos os mamíferos. O sistema endocanabinoide regula praticamente todos os nossos processos fisiológicos, como apetite, dor, inflamação, termorregulação, pressão intraocular, sensação, controle muscular, equilíbrio de energia, metabolismo, qualidade do sono, resposta a estresse, motivação/recompensa, humor e memória. No corpo humano, o SE é um dos sistemas responsáveis por manter a homeostase, estado de equilíbrio biológico.

Conforme falamos acima, o THC tem um efeito importante neuroprotetor. A substância não deixa os neurônios superexcitarem, o que normalmente causa a morte deles – é o que acontece, principalmente na epilepsia, esclerose múltipla e outras doenças degenerativas.

Clique aqui (https://plantandobem.com.br/tudo-sobre-thc/) se quiser continuar lendo mais sobre o THC, neste texto apresentamos todas as informações mais importantes sobre a principal substância da maconha. E para ler mais sobre a Cannabis Sativa clique aqui (https://plantandobem.com.br/o-que-a-cannabis-sativa/). Essa é a variante da planta reconhecida por apresentar os maiores índices de THC. Neste texto apresentamos todas as características da planta e como diferenciar das outras variedades da Cannabis.

Se gostou desse conteúdo, compartilhe com os amigos. Deixe aqui seus comentários sobre o assunto ou outros temas que você gostaria de ler aqui no Plantando Bem.


Leave a Reply

Your email address will not be published.