A maconha já demonstrou seu efeito medicinal no tratamento de muitas doenças, combatendo diferentes sintomas, a cannabis oferece um tratamento muito melhor para as pessoas, justamente porque, diferente dos remédios tradicionais, os efeitos adversos praticamente não existem. Neste texto você poderá entender como é o uso do canabidiol para quem sofre com a Doença de Parkinson e como a maconha pode oferecer mais qualidade de vida para essas pacientes.

A Doença de Parkinson

A Doença de Parkinson é uma doença degenerativa do sistema nervoso central, crônica e progressiva. É causada por uma diminuição intensa da produção de dopamina, um neurotransmissor que ajuda na transmissão de mensagens entre as células nervosas. A dopamina ajuda na realização dos movimentos voluntários do corpo de forma automática, ou seja, não precisamos pensar em cada movimento que nossos músculos realizam, graças à presença dessa substância em nossos cérebros. Na falta dela, particularmente numa pequena região encefálica chamada substância negra, o controle motor do indivíduo é perdido, ocasionando sinais e sintomas característicos, que veremos adiante.

Os principais sintomas da Doença de Parkinson são a lentidão motora, a rigidez entre as articulações do punho, cotovelo, ombro, coxa e tornozelo, os tremores de repouso notadamente nos membros superiores e geralmente predominantes em um lado do corpo quando comparado com o outro e, finalmente, o desequilíbrio. Podem ocorrer outros sintomas como diminuição do olfato, alterações intestinais e do sono.

Fonte: https://www.einstein.br/doencas-sintomas/parkinson

Não existem estatísticas oficiais brasileiras, mas estudos internacionais estimam que o número de pacientes com Doença de Parkinson no Brasil dobrará até 2030. Dados publicados através de pesquisa realizada em uma cidade brasileira, estimou que o número de pessoas com Doença de Parkinson representaria cerca de 3% da população com 60 anos ou mais. Levando em consideração que a população brasileira nessa faixa etária seria de 21 milhões de pessoas, chegamos a um número provável de 630 mil brasileiros com Parkinson.

Fonte: https://www.prosaude.org.br/noticias/em-2030-mais-de-600-mil-brasileiros-poderao-sofrer-do-mal-de-parkinson/

O CBD no tratamento do Parkinson

A maconha já é vista como uma esperança para os pacientes com Parkinson. O canabidiol tem sido utilizado no tratamento da Doença de Parkinson há algum tempo já, inclusive existem diversas pesquisas neste assunto. A eficiência da erva é, principalmente, no alívio dos tremores, psicose e problemas para dormir. O CBD também demonstrou que pode reduzir a depressão e a ansiedade e aliviar a dor dos pacientes.

Grande parte dos estudos realizados demonstraram que o canabidiol, mas conhecido como CBD, é eficiente para os sintomas motores e também para os sintomas não motores, os sintomas psicóticos, bem-estar e distúrbios do sono, além de ajudar a reduzir a ansiedade nos pacientes e, consequentemente, a intensidade dos tremores. O CBD age nos pacientes com Parkinson combatendo o estresse oxidativo e a inflamação, que causam as dificuldades no movimento. O canabidiol possui efeitos antiinflamatórios, neuroprotetores e antioxidantes.

Um estudo da Colorado School of Medicine já demonstrou que o canabidiol é realmente capaz de aliviar os tremores nos pacientes e a dificuldade para dormir. Outros estudos com o CBD também já demonstraram que este canabidiol é eficiente no tratamento da demência que pode ser causada pelo Parkinson.

O CBD tem se mostrado eficiente no tratamento do Parkinson. Uma alternativa natural aos medicamentos naturais, o tratamento com o CBD, inclusive, demonstrou efeitos positivos por mais tempo que os outros medicamentos, que perdem a eficácia ao longo do tempo.

Além dos muitos benefícios que já citamos, outro e muito importante é a não existência de efeitos colaterais. Na maior parte dos casos, os pacientes não demonstram nenhuma reação adversa enquanto estão fazendo o tratamento com o canabidiol.

Embora já tenham sido realizados muitos estudos com o CBD no tratamento dos sintomas do Parkinson, há ainda muito o que se pesquisar para que seu uso possa oferecer ainda mais qualidade de vida aos idosos, principais vítimas da doença

Para ler mais sobre o uso da cannabis no tratamento das doenças, clique aqui. Neste texto você poderá ver como o cannabis está ajudando pacientes que sofreram acidente vascular cerebral (AVC). Conte aqui para nós se você conhece alguém que faz uso da maconha medicinal. E se gostou deste texto, compartilhe com os amigos.


Leave a Reply

Your email address will not be published.