A endometriose afeta cerca de 10% da população feminina brasileira, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No mundo, a doença atinge uma em cada dez mulheres, os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS). A endometriose causa cólica intensa nas mulheres, entre muitos outros sintomas. Os tratamentos tradicionais consistem no uso de remédios hormonais e, em alguns casos, de cirurgia, o problema é que muitas mulheres sofrem com os efeitos colaterais. O uso da cannabis para endometriose surge com uma opção. Recentemente, os pesquisadores identificaram que o THC (tetra-hidro-canabidiol) e o CBD (canabidiol) são eficazes contra os sintomas da doença e não causam efeitos colaterais.

A endometriose

A endometriose é um processo inflamatório causado pelas células do endométrio que, em vez de serem expelidas, ficam no corpo e caem nos ovários ou na cavidade abdominal. O endométrio é a mucosa que reveste a parede interna do útero e onde o óvulo depois de fertilizado se implanta. Quando não há fecundação, o endométrio é eliminado na menstruação. O que sobra volta a crescer e o processo todo se repete a cada ciclo. Quando não é expelido, o endométrio cresce em ritmo incontrolado e faz com que ocorra sangramento interno. A doença é frequente em mulheres de 25 a 35 anos.

O principal sintoma da endometriose é a cólica menstrual que aumenta de intensidade conforme a doença não é tratada, até incapacitar as mulheres de exercerem as tarefas do dia a dia.

Além da cólica, a doença pode causar dor intensa na vagina durante a relação sexual, ou dor pélvica contínua. Outros sintomas são a prisão de ventre ou a diarreia durante o período menstrual e a dor ao evacuar ou urinar.

As mulheres com endometriose também têm dificuldade de engravidar, mas, assim como a doença e os sintomas, a infertilidade também pode ser revertida com os tratamentos adequados.

A doença normalmente é tratada com medicamentos anti-hormonais ou com anticoncepcional. As mulheres que estão tentando engravidar normalmente usam analgésicos ou anti-inflamatórios. Em casos mais graves é indicado cirurgia, mas associada ao uso de medicamentos. O problema é que é muito frequente efeitos colaterais de sensação de muito calor e secura vaginal, além do risco de osteoporose.

O tratamento da endometriose com Cannabis

A cannabis medicinal surge como uma opção importante para as mulheres com endometriose, isso porque o sistema endocanabinoide do nosso organismo está envolvido na interrupção do crescimento celular. As células endometriais se multiplicam e os canabinóides são capazes de impedir a proliferação dessas células, isso porque eles se ligam ao nosso sistema endocanabinoide e “recuperam” o funcionamento adequado.

Além disso, CBD e THC agem complementares nos sintomas da doença. O CBD é capaz de aliviar as fortes dores, combatendo a inflamação, o que leva a menos nervos irritados e, portanto, menos dor. E, de acordo com estudo da Medical Cannabis Network, o THC é eficiente para tratar a endometriose porque os órgãos pélvicos femininos possuem uma grande quantidade de receptores de canabinóides.

Além dos tratamentos já identificados para a endometriose, pesquisadores já estão realizando outros estudos com fitocanabinóides para identificar o uso da Cannabis para outras doenças ginecológicas.

Se você gostou desse conteúdo comente aqui e compartilhe com seus amigos. Para continuar lendo sobre os benefícios da maconha medicinal clique aqui e veja como o canabidiol também está ajudando os pacientes com artrose.

Nos conte também outros conteúdos que você gostaria de ver aqui em nosso blog.

Fontes: https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-03/endometriose-pode-afetar-10-das-mulheres


Leave a Reply

Your email address will not be published.