O TOC é uma condição psiquiátrica que atinge em média 8 milhões de brasileiros. Ainda há muito estigma sobre o TOC, mas é uma condição que tira a qualidade de vida das pessoas. Os tratamentos tradicionais costumam necessitar de medicamentos que causam efeitos colaterais aos pacientes e que perdem a eficácia com o tempo. A boa notícia é de que pesquisadores já descobriram que a Cannabis para TOC é uma opção de tratamento que não causa efeitos colaterais e apresenta excelentes resultados na diminuição da ansiedade associada à doença.

O uso da Cannabis medicinal para pacientes com TOC se dá com o uso de medicamentos produzidos com alta concentração de canabidiol (CBD).

Os efeitos da cannabis modulam as áreas límbica e paralímbica do nosso cérebro, responsáveis pela emoção. A atuação da Cannabis se dá em nosso sistema endocanabinoide e o CBD é capaz de regular esse sistema, responsável pelo “equilíbrio” total de nosso organismo.

O que é o TOC?

O transtorno obsessivo compulsivo (TOC) é uma condição psiquiátrica relacionado à ansiedade que atinge 8 milhões de brasileiros. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é líder mundial no número de casos registrados de ansiedade e condições relacionadas, entre as quais está o TOC.

A doença geralmente é levada em tom de brincadeira, mas causa muitos desconfortos para as pessoas com TOC. É uma doença em que as pessoas são tomadas por pensamentos inconvenientes que podem surgir a qualquer momento do dia. Os pensamentos são seguidos por comportamentos repetidos, em que a pessoa só consegue se acalmar após realizar essa ação.

Além do desconforto de viver com a doença, uma pesquisa realizada por experts de diversas universidades do país identificou que o TOC tem relação com diversos distúrbios psiquiátricos: 68% das pessoas entrevistas sofriam também com depressão, 63% com ansiedade e 35% com fobia social.

O diagnóstico normalmente se dá quando as ações repetitivas começam a tomar muito tempo, interferem na qualidade de vida e atrapalham outras ações do dia a dia, além de causar isolamento e angústia nos pacientes. O principal obstáculo para tratar a doença é estigma que as pessoas têm de “não ser nada”. Quando há a identificação de um dos sinais da doença é o diálogo e também o acompanhamento de um psicólogo, terapeuta ou psiquiatra. Procurar por um médico é muito importante porque a automedicação deve ser evitada.

Pesquisas e estudos da Cannabis para o TOC

Um estudo realizado por pesquisadores da Washington State University com 87 pessoas que possuíam TOC identificou que o uso da Cannabis medicinal diminuiu as intrusões em 49%, compulsões em 60% e ansiedade em 52%. Os responsáveis pelo estudo acompanharam a gravidade das intrusões, compulsões e ansiedade imediatamente antes e depois de 1.810 sessões de uso de cannabis durante um período de 31 meses. Os pacientes fizeram o uso da maconha inalando a substância.

Um estudo da Universidade de Columbia bastante completo sobre o TOC identificou três estudos que foram realizados sobre os efeitos dos canabinoides em sintomas do TOC: o primeiro foi com uma mulher de 38 anos com depressão e TOC, durante 10 dias ela tomou dronabinol e conseguiu cair de 20 para 10 pontos na Escala de Yale-Brown (valor usados para avaliar pacientes obsessivos compulsivos); o segundo estudo, com um homem de 36 anos com esquizofrenia e TOC, também recebeu doses de dronabinol, e caiu de 25 para 15 pontos na escala; por último, um estudo avaliou um homem de 24 anos que desenvolveu TOC após um derrame, após duas semanas tomando dronabinol caiu de 39 para 10 pontos.

Se você gostou desse conteúdo, compartilhe com seus amigos e comente aqui para nós outros assuntos que você gostaria de ler. Para continuar lendo sobre o uso medicinal da maconha, clique aqui (https://plantandobem.com.br/cannabis-para-esclerose-multipla/) e veja sobre o uso da Cannabis por pacientes com esclerose múltipla e como o CBD e o THC agem nos sintomas causados pela doença.

Fontes: https://saude.abril.com.br/mente-saudavel/toc-nao-e-brincadeira-entenda-como-funciona-o-transtorno/


Leave a Reply

Your email address will not be published.