canabidiol para animais

O uso do Canabidiol nos animais começou nos Estados Unidos, lá, medicamentos com Cannabis são liberados para uso veterinário em mais de 20 Estados. Esses tratamentos estão ganhando espaço em outros países, incluindo o Brasil. Estudos recentes indicam que os efeitos terapêuticos de medicamentos feitos à base da Cannabis em animais domésticos sejam tão eficientes quantos os verificados em humanos. O uso de fitoterápicos tem crescido na área veterinária. E se hoje o mundo se volta para o uso medicinal de Cannabis, no campo veterinário não é diferente. Estudos clínicos já testaram a eficácia do óleo de CBD em cães, gatos e cavalos, apresentando bons resultados, especialmente em apoio à terapia normal.

Em humanos o canabidiol é indicado para controle da ansiedade, dor, epilepsia, esquizofrenia, mal de Parkinson, autismo, insônia, crises convulsivas, entre outras doenças e sintomas. Os fitocanabinoides (CBD e THC) têm sido usados com frequência na medicina humana como medicamento devido às suas propriedades neuroprotetoras, já que ativam os receptores CB1 e CB2 do sistema nervoso central. E esses receptores também se expressam em cães e gatos.

Na veterinária já temos a comprovação dos benefícios do uso do canabidiol para redução de crises convulsivas, redução da dor, efeito anti-inflamatório, tratamento da síndrome cognitiva em cães idosos, redução de ansiedade, aumento na produção de lágrimas em cães que apresentam ceratoconjuntivite seca e redução dos efeitos colaterais causados pela quimioterapia em cães. Em relação a animais que estão sendo submetidos à quimioterapia, normalmente animais de pequeno porte têm mais efeitos adversos e os óbitos normalmente ocorrem por sepse e outros efeitos colaterais. Portanto o CBD vem como opção muito interessante para evitar esses efeitos adversos.

Na Faculdade de Medicina do colorado, foram desenvolvidos dois testes para o tratamento de artrite e outro sobre epilepsia em cães a base de canabidiol conhecidos por suas ações anti-inflamatória e anticonvulsivante. Para o estudo de epilepsia foram analisados 26 cachorros durante 12 semanas, onde eles receberam o óleo de CBD como tratamento. O resultado foi uma queda significativa das crises em comparação com os cães que receberam placebo.

Novos estudos ainda estão sendo realizados para compreender exatamente todos os benefícios e aplicações do CBD.  Bem como doses e frequência de uso. A ideia de deixar o bichinho “chapado” é falaciosa, os únicos sintomas colaterais relatados até agora são apenas sonolência e sede. o tipo de maconha usada para ajudar os animais é o cânhamo, uma derivação sem teor alucinógeno e com mais canabinóides. Os efeitos rápidos são o que mais atrai os donos de animais de estimação. Assim como em humanos, as gotas embaixo da língua também valem para os pets. Não é recomendável colocar em petiscos ou na ração.

Entre as doenças que podem ser curadas nos animais com o uso de medicamentos com Cannabis, estão:

•          Infeções fúngicas, bacterianas, virais

•          Dor crônica e/ou neuropática

•          Crises epilépticas

•          Processo de cicatrização

•          Distúrbios do trato gastrointestinal, como disbiose

•          Transtornos mentais

•          Transtorno de ansiedade

•          Situações estresse

•          Traumas físicos ou “psicológicos”

•          Problemas dermatológicos.

•          Doenças autoimunes

Veterinários pelo Brasil têm orientado tutores de animais a usarem medicamentos à base de Cannabis, mas a indicação é feita sem uma lei que proíba, que autorize ou que regulamente o uso da maconha medicinal nesses casos. Isso porque o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e o CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária) ainda não possuem diretrizes de uso para esse tipo de medicamento.

Para os tutores que querem iniciar o tratamento com Cannabis em seus animais, a primeira orientação é procurar um veterinário, neste caso um profissional que entenda do assunto, inclusive porque a dose deve ser manipulada com muita atenção e sempre vai depender do tamanho, da doença e dos sintomas do animal. O uso não é indicado para filhotes, eles são mais propensos a efeitos adversos, por isso, a dose deve ser prescrita com cuidado. O acompanhamento de um veterinário também é essencial já que o tratamento necessita de uma dieta com menos carboidratos e mais proteínas, gorduras e fibras, a fim de fortalecer o organismo do animal. E, para reforçar, medicamentos à base de Cannabis não são a cura, é apenas um tratamento que pode oferecer mais qualidade de vida ao animal.

Nos Estados Unidos, apesar da legalização medicinal em muitos estados, a cannabis é ilegal a nível federal, o que impede os veterinários de prescrever o medicamento para os bichos. Neste caso, os empresários vendem apenas em seus estados. Na Califórnia por exemplo, os donos dos pets precisam de uma autorização de maconha medicinal para conseguir comprar. Apesar de centenas de animais já estarem consumindo o cânhamo no país, o assunto ainda é novidade.

No Brasil, mesmo com a venda de produtos à base de cannabis medicinal nas farmácias para humanos, ainda não há nenhuma legislação específica de cannabis para bichos. Ele está disponível em alguns sites de compras coletivas e sites estrangeiros, para quem optar por importar. O preço fica entre R$60,00 até R$300,00. Ele pode variar de acordo com o produto e de onde está vindo. Embora seja possível administrar o óleo usado por humanos, é recomendável que o produto seja voltado exclusivamente para os bichos, pois aditivos, conservantes ou níveis altos de THC podem fazer mal.

Se quiser saber mais especificamente sobre o óleo da Cannabis, clique aqui.


Leave a Reply

Your email address will not be published.